Postado em 28 de Abril às 17h55

Depressão em pets com o retorno às atividades "pós-pandemia"

É verdade que passamos grande parte do último ano basicamente em casa. Quem tem pet, sabe que eles foram companheiros fiéis nesses dias de isolamento tanto para as crianças quanto para os adultos em home office.

Mas, após um tempo, mesmo com a pandemia, muitas atividades voltaram a funcionar normalmente e muitos acabaram retornando para o trabalho de forma presencial, voltando à rotina de deixar seu pet em casa. Para eles, a situação é nova: ficar sozinho novamente pode acarretar sintomas de depressão.

Assim, é importante que os donos estejam atentos e sigam algumas orientações para minimizar a tristeza do seu pet. Gastar energia faz toda diferença: com todos os cuidados, em ambientes abertos, após o trabalho, leve seu pet passear.

Você também pode reservar um tempo para colo e carinho, para que ele não sinta que está abandonado e que tenha a certeza de que você sempre retornará. Deixar "seu cheiro" pelo ambiente também ajuda a diminuir os sintomas. E, é claro, brinquedos ao seu alcance vão o entreter enquanto você estiver fora.

Veja também

Como dar vermífugo para cães02/04/20 A vermifugação do seu cachorro é tão importante quanto a vacinação, pois vermes podem trazer doenças graves para ele e até para seus donos. Por isso, é preciso dar vermífugos para o seu cachorro com frequência, seguindo orientações veterinárias e combatendo os vermes que mais atacam os cães. Frequência......
FeLV: sintomas, transmissão e tratamento.24/02 A Feline leukemia vírus - FELV é o nome da chamada leucemia felina. Trata-se de uma infecção advinda de um vírus, que é contagiosa. O diagnóstico precoce é a melhor forma de evitar......
Leishmaniose canina02/04/20 A Leishmaniose Visceral Canina é uma doença infecciosa grave provocada pelo parasita Leishmania chagasi, que é transmitido apenas através da picada de um mosquito infectado. A doença pode demorar até meses para se......

Voltar para Blog