DÚVIDAS FREQUENTES

1) Como ensinar o cão a fazer xixi em local adequado?

O “banheiro” do cão deve ficar em um local tranqüilo, afastado da área onde ele descansa ou se alimenta. No momento em que o cãozinho fizer as necessidades no local desejado, é preciso utilizar palavras de incentivo, em tom carinhoso, para reforçar a ação. A utilização de produtos atrativos e repelentes pode auxiliar no processo de aprendizado. Aumentar o número de passeios tende a diminuir a necessidade do cão de evacuar dentro de casa, além de trazer benefícios à saúde do seu pet. 

2) Como resolver o problema da queda de pêlos?

Cães e gatos podem apresentar perda de pêlos de forma fisiológica ou como conseqüência das dermatopatias (fungos, bactérias, deficiências nutricionais e disfunções endócrinas que acometem a pele e os pêlos). No caso da fisiológica, a queda de pêlos ocorre naturalmente, algumas vezes durante o ano, sem provocar falhas no pelame ou alterações na pele. Para minimizar os transtornos causados pela perda de pêlos, recomenda-se o fornecimento de rações de boa qualidade, escovação regular do pêlo (2 a 3 vezes por semana), uso de xampus e hidratantes específicos para cada tipo de pelagem. O combate a ectoparasitas como pulgas e carrapatos assim como a adição de suplementos vitamínicos e minerais à dieta também são medidas eficientes. Na presença das dermatopatias o animal deve passar por avaliação médico-veterinária para escolha do tratamento apropriado.

3) Quais cuidados devemos ter com a alimentação de cães e gatos?

Para promover uma manutenção saudável o fornecimento de alimentos equilibrados e balanceados de acordo com a idade do cão ou gato é essencial. A quantidade diária necessária para cada animal deve ser seguida de acordo com a recomendação do fabricante, respeitando variáveis como o temperamento e freqüência de exercícios semanais. Oferecer alimentos preparados para o consumo humano é contra indicado, pois podem provocar alterações gastrointestinais graves. Petiscos apropriados podem ser dados com moderação. Em especial no caso dos gatos, junto às rações de boa qualidade, é importante estimular o consumo de água para diminuir os riscos de problemas do trato urinário, comuns na espécie.

4) Como evitar o mau hálito?

O mau hálito pode sinalizar complicações na saúde bucal, estomacal e renal. Por isso, a halitose deve ser investigada com atenção para evitar conseqüências graves. Com orientação profissional, é preciso manter hábitos diários de higienização dos dentes e da gengiva – hoje, temos disponíveis no mercado produtos que dispensam escovação e que promovem manutenção da saúde bucal. A profilaxia dentária, remoção do tártaro e tratamento bucal especializado, também é importante para eliminar o mau hálito e precisa ser realizada periodicamente. 

5) Vacinação

A vacinação é de suma importância pra manter o seu amigo pet protegido. As vacinas proporcionam imunidade sobre as doenças, assim, o organismo será capaz de produzir o anticorpo necessário para que o animal não adoeça. O protocolo de vacinação tem início na infância e deve ser repetido anualmente. Para os cães há disponível as vacinas polivalentes, que são conhecidas como déctupla (V10), óctupla(V8) ou sêxtupla (V6) e previnem diversas doenças e as monovalentes contra giárdia, tosse dos canis, raiva e leishmainiose. Os gatos devem receber a